sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Pesadelo #A dança do MEDO

O que você faria para se salvar de alguma ameça?
Mataria? ou Morreria?
.
.
.
Vou deixar um pouco de lado os pesadelos e arriscar nas coisas que acontecem de fato comigo.
Não que eu tenha matado alguém, nem morri... obvio, mas acreditem eu já tentei o fazer.
Toda criança sente medo do escuro, porque é no escuro que você não enxerga nada causando assim a possibilidade de um bicho papão vim te pegar. Pois é qual criança não pensa assim?..
Ao longo do tempo essa minha queda pelo medo tem se tornado uma queda constante de um abismo.
Logo que fiz 15 anos eu já me sentia no dom de ser livre, e como não podia sair de casa, eu fazia daquilo uma catástrofe da minha vida : "que vida idiota, eu odeio viver" e blá blá blá...
Com o tempo isso aumentou em larga escala e aos 16 eu era uma pessoas obscura, minha vida era baseada em rock, poesia gótica, rebeldia e depressão. Mas foi ai que eu comecei a ter o escuro como abrigo, eu não saia do escuro por nada, eu me sentia bem ou achava que sentia.
Sempre trancada no meu quarto eu escutava musica escrevia, conversava pela internet com góticos, chorava pleos cantos, blasfemava Deus, e xingava todas as pessoas da face da Terra , me cortava e chupava meu próprio sangue e me sentia mau por isso.
Eu rasgava minhas roupas colava meus posteres na parede, eu gritava e pulava.
Eu era uma infeliz.
Houve então o tempo em que eu queria era mais conhecer a morte, a busca pelas respostas era constante na minha cabeça. Porque nada fazia sentido (e ainda não faz), tudo era sem sentido e proposito nem a razão favorecia. Eu tinha ódio de tudo, mas acreditem eu era assim só pra mim, porque para as pessoas eu era só mais uma idiota gorda.




Pesadelo #A dança do MEDO

Um belo dia quando fui para a escola, estava sentada na praça sozinha, era normal afinal eu só tinha 3 amigas naquela época e nenhuma chegava no horário que eu ou então faltavam, mas nesse dia eu estava sozinha sentada na escada escutando musica. Quando uma mulher se aproximou de mim e disse :
"Deus me mandou falar com você."
Eu nunca vi a mulher na vida, e o que ela disse era mais ou menos assim que eu escutei :
"Vou encher seu saco."
Mas ela me perguntou se eu queria escutar e eu disse, vai bota pra fora... e ela dizia que já havia um tempo que Deus mandou ela para falar comigo, mas ela tinha medo de mim, porque os meus olhos expressavam o mal, mas que Deus disse não temas e ela veio. Contando coisas do tipo, sei como é a sua vida Deus me mostrou e sei que não é fácil passar por isso, ser criticada pelas pessoas, ser mal vista e julgada, escutar coisas ruins de você é muito chato mesmo. Mas sei que você quer mudar, quer ser diferente do que é, sei o tanto de problemas que é na sua casa e que seu pai é ausente e sua mãe não liga pra você a não ser pra ela mesma. Mas tem uma coisa que precisa saber, o que impedi sua mudança é o que você traz pra perto de você com esses pensamento e atitudes ruins. 
Dai eu falei com ela, olha eu não te conheço, e todo mundo aqui adora fofocar e falar da vida dos outros, eu não ligo. Mas o que você quer? me mandar frequentar uma igreja?
Ela disse tem Demônios no seu quarto, nos posteres que você pregou na parede, dentro da sua gaveta, por toda parte seu quarto esta escuro. Você precisa livrar-se disso antes que eles á possuam de vez.
Chegue em casa e vá até a porta do seu quarto e fala : "Tudo o que há de ruim aqui, saia. Demônios eu os expulso em nome de Jesus."
E na boa eu fiquei com medo daquela mulher, então eu disse, olha você perdeu seu tempo isso é coisa de assembleiano, to indo pra aula...
sai e disse baixo : "doida"
E talvez tenha dito pra mim mesma aquilo.
Só sei que quando cheguei em casa, uma parte de mim estava adorando a presença de Demônios no meu quarto, mas a outra parte gritava desesperada para que pudesse se livrar disso tudo.
Foi o que aconteceu, eu cheguei na porta do meu quarto era umas seis da noite quando já estava escuro só o meu irmão em casa e eu fui em um ato de coragem e parada na porta eu disse :
"Tudo o que há de ruim aqui, saia. Demônios eu os expulso em nome de Jesus."
Acredite ou não, na mesma hora que eu disse soprou uma ventania forte e a luz do poste na rua se apagou (minha janela estava aberta e da minha janela se via os postes da rua por cima do muro).
e na mesma hora eu dei um passo pra trás arrepiada... e acendi a luz, corri e fechei a janela, mas meu coração estava saltando pela minha boca.
Aquela noite eu havia dormido com a luz acesa.

.
.
.


Depois eu havia tirado os posteres minha mãe arrancou uma boa parte deles em um outro dia...
mas no todo meu quarto estava rosa sem posteres para cobrir aquela cor medonha.
Depois de tudo, eu me sentia melhor, mas ainda assim eu tinha uma cicatriz aberta o ódio se foi, mas a vontade de chorar continuava. Eu queria ser normal, ter amigos, poder estar com eles, fazer atividades ..sei la..ir a praia, ao cinema... sair e se divertir, andar de bicicleta, patins.... tocar violão cantar... rodinha pra comprar uma pizza e rir da vida.Uma família normal. Queria que as pessoas gostassem de mim, que não me olhassem daquela forma te condenando ao hospício. u.u

Depois disso começaram aparições, vozes, pessoas me chamando, eu sentia mais medo do que tudo.
Fiquei medrosa, não procurei mais nada que fosse do mal...
mas acreditei naquela mulher, depois não a vi mais, tudo bem.
Pulando tudoo... Hoje em dia eu sou assim, cheia de medo do escuro ou do que esta nele, não ando só de preto e maquiagem pesada, nem tenho aquela aparência de uma garota do capeta.
Mas hoje ainda tenho pesadelos, sinto que a cada dia eu fico mais solitária minhas escolhas no passado estão se tornando consequências no meu presente. 
Não sei quando isso vai parar, só sei que eu vou seguir em frente,, quem sabe eu não encontre amigos por ai, que eu viva a vida colorida...sem Restart ><
mas como qual quer pessoa.
.
.
.


"A minha dança tem como ritmo o medo. Não sou eu quem movo meus pés, mas o medo que me conduz com o seu ritmo."
Bleer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário